Home » Informação » FBI encontra informações nucleares de um governo estrangeiro na residência de Trump

Relatório não mencionou o país citado em documentos; informação foi divulgada pelo jornal americano Washington Post

Um dos documentos ultrassecretos apreendidos pelo FBI na residência do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump descrevia a capacidade nuclear e a defesa militar de uma potência estrangeira, informou o jornal The Washington Post na terça-feira (6).

De acordo com o jornal, que cita fontes anônimas próximas ao caso, alguns dos documentos encontrados na mansão de Trump em Mar-a-Lago, na Flórida, tinham um nível de confidencialidade tão alto que apenas o presidente e funcionários do gabinete ou pessoas próximas a ele poderiam autorizar outros membros do governo a acessá-los.

O relatório não mencionou o país cuja capacidade de defesa e nuclear era citada nos documentos.

De acordo com o jornal, conteúdo como esse exigia permissões especiais de acordo com a necessidade, em vez de uma autorização genérica rotulada de ultrassecreta.

Trump enfrenta crescente pressão legal. O Departamento de Justiça sustenta que esses documentos ultrassecretos foram “provavelmente escondidos” para obstruir uma investigação do FBI sobre o possível manuseio incorreto pelo ex-presidente de material classificado.

Quando os agentes revistaram a mansão Mar-a-Lago, encontraram material tão sensível que “até mesmo o pessoal de contrainteligência do FBI e os advogados do Departamento de Justiça que conduziam a busca exigiram autorizações adicionais antes que pudessem revisar certos documentos”, observou um expediente judicial do governo.

A operação do FBI em agosto ocorreu após uma revisão de registros “altamente confidenciais” que Trump por fim entregou às autoridades em janeiro, após meses de idas e vindas com a Administração Nacional de Arquivos e Registros.

As 15 caixas apreendidas na casa do ex-presidente continham 184 documentos marcados como confidenciais, secretos ou ultrassecretos. Depois de receber instruções do FBI, o advogado de Trump entregou 38 documentos confidenciais adicionais e forneceu uma declaração juramentada de que representavam o material mais recente.

No entanto, o FBI descobriu “múltiplas fontes de evidência” que mostram que os documentos confidenciais permaneceram em Mar-a-Lago.

 

Fonte: R7 – AFP Foto: SPENCER PLATT / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP

Eu Quero a Record TV