Home » Informação » Aviões de combate dos Estados Unidos interceptam bombardeiros russos perto do Alasca

Aeronaves da Rússia permaneceram no espaço aéreo internacional e não ingressaram nos Estados Unidos nem no Canadá

O Norad (Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte, na sigla em inglês) informou nesta terça-feira (18) que aviões de combate F-16 dos Estados Unidos interceptaram, na última segunda (17), dois bombardeiros russos no espaço aéreo internacional perto do estado do Alasca.

Os bombardeiros Tu-95 foram interceptados depois de “ingressarem e operarem dentro da Zona de Identificação de Defesa Aérea do Alasca”, declarou o Norad em um comunicado.

Os aviões russos “permaneceram no espaço aéreo internacional e não ingressaram no espaço aéreo dos Estados Unidos, nem do Canadá”, afirmou o comando americano.

A Zona de Identificação de Defesa Aérea (conhecida pela sigla Adiz) é um perímetro no qual o tráfego aéreo é monitorado pelas Forças Armadas de um ou mais países, para além de seu espaço aéreo nacional. O objetivo é ter um tempo de reação extra em caso de manobra hostil.

Embora as tensões estejam altas entre Estados Unidos e Rússia pela invasão russa da Ucrânia, o Norad disse que os bombardeiros não foram vistos como ameaça nem provocação.

“O Norad rastreia e identifica positivamente aeronaves militares estrangeiras que ingressam na Adiz” e “supervisiona, de forma rotineira, os movimentos de aeronaves estrangeiras e, conforme se faça necessário, escolta-as da Adiz”, explicou o comunicado.

A Rússia costuma fazer manobras militares nesta época do ano. Esses exercícios incluem testes de mísseis balísticos, embora não esteja claro se a presença dos bombardeiros estava relacionada com esse treinamento.

As interceptações de aviões procedentes da Rússia nessa área, próxima da fronteira leste do país, são relativamente frequentes.

Eu Quero a Record TV