Marjorie Green ficou impedida de usar o Facebook por 24 horas, enquanto teve seu acesso ao Twitter bloqueado de forma definitiva

A Meta, companhia proprietária do Facebook, anunciou na segunda-feira (3) a eliminação de uma postagem da deputada americana Marjorie Taylor Greene, que ontem teve a conta no Twitter suspensa de maneira permanente, por difusão de informação falsa sobre a pandemia da Covid-19.

“Uma publicação violava nossas políticas, e a eliminamos”, indicou um porta-voz da Meta, em comunicado veiculado pelo jornal The Wall Street Journal.

A fonte completou que eliminar o perfil mantido pela deputada “está além do alcance” das políticas estabelecidas pela companhia.

Taylor Greene, que é deputada do Partido Republicano pelo estado da Geórgia, é uma das figuras mais polêmicas do Congresso dos EUA e se manifestou sobre o caso através do Telegram e do Gettr.

“O Facebook se uniu ao Twitter para me censurar”, reclamou a parlamentar, que disse representar a voz e os valores de mais de 700 mil americanos e que defende as liberdades e a Constituição.

A deputada ainda publicou no Gettr uma imagem que apontava para uma suspensão do Facebook de 24 horas, período em que não poderia criar postagens, nem comentar em publicações, devido a propagação de mensagem que via contra as normas de desinformação.

O Twitter, por sua vez, não detalhou os motivos pelos quais eliminou a conta de Taylor Greene de maneira definitiva.

Em agosto, a deputada havia sido advertida com uma suspensão de sete dias, depois de postar que as vacinas contra a Covid-19 estavam fracassando e que não reduziam a propagação do novo coronavírus.

 

Fonte: R7

Foto: REPRODUÇÃO: INSTAGRAM