A Sony Music passa a ter os direitos dos 20 álbuns do cantor americano

Bruce Springsteen, uma das figuras mais importantes do rock durante a década de 1970, vendeu toda a sua obra para a Sony, empresa global de mídia. A companhia passa a ter direito de uso das músicas registradas nos seus 20 álbuns, além das canções originais que também foram vendidas pelo cantor.

A Sony vai ter direitos autorais de canções como “Born in the U.S.A.” ou “Streets of Philadelphia”, de acordo com informações fornecidas à agência AFP. Só no ano passado, as composições de Springsteen geraram cerca de US$ 15 milhões. Além de cantor, Bruce Springsteen é compositor, guitarrista, ator e venceu o prêmio Grammy 20 vezes.

Apesar da informação sobre a venda ter sido confirmada pelo jornal New York Times, nenhum anúncio oficial foi feito pelos representantes da Sony e do artista.

Sprignsteen, hoje com 72 anos, passou 50 anos contratado pela gravadora Columbia Records, da Sony, e vendeu mais de 150 milhões de álbuns.

 

Outros artistas que seguiram os passos de Bruce Springsteen

Antes de Bruce, outros famosos também venderam seus direitos musicais a outras empresas do ramo. Em setembro, a Warner Music comprou os direitos mundiais das músicas de David Bowie e em dezembro de 2020, Bob Dylan vendeu seu catálogo, que tinha mais de 600 canções para o Universal Music Group por US$ 300 milhões.

Em janeiro deste ano, a cantora Shakira vendeu 100% da participação do seu catálogo musical para o Hipgnosis Songs, um fundo de investimento britânico. O negócio incluiu a compra das 145 canções compostas pela colombiana ao longo dos seus 25 anos de carreira. Anteriormente o fundo já tinha comprado 50% dos direitos autorais de todas as canções do cantor Neil Young por US$ 150 milhões.

Foto: Divulgação/Flickr